terça-feira, 12 de setembro de 2017

MINHA CARA METADE: "Mito ou Verdade?"


Certamente você já deve ter ouvido a expressão “cara metade”, ou mesmo a expressão “a metade que faltava da maçã”. Talvez você mesmo já tenha dito isso ou tenha ouvido alguém falando a respeito. É verdade que muitas mulheres querem encontrar a todo custo uma pessoa que pode completá-las e vice versa. É plena verdade que o homem foi feito para a mulher e a mulher para o homem. Mas será que realmente existe essa “cara metade” que te completa? Ou seria uma busca por algo que nunca será encontrado? Será que podemos afirmar que sozinhos estamos incompletos? Ou seja, felicidade plena, só se estivermos com alguém do sexo oposto? Seria impossível ser feliz sozinho?

Muitos relacionamentos acabam chegando ao rompimento porque ambos desejam se completar, quando, na realidade, a melhor hora para entrar em um relacionamento é quando se está completo sozinho. Esse sentimento de incompletude vem de uma carência, ou seja, coisas que ainda faltam ser resolvidas em sua vida. Você deve resolver essa carência primeiro e não iniciar um relacionamento esperando que a outra pessoa supra aquilo que te falta. Deus nos fez para sermos completos, inteiros e não fracionados, ao ponto de precisar que outra pessoa preencha algo que está “incompleto”.
Se cada parte já não entrar com essa consciência da completude na relação, dificilmente experimentarão uma felicidade plena. Muitas vezes, entende-se por “completar” quando, na verdade, a outra pessoa tem o que gostaríamos de ter em nós mesmos.
Projetar em alguém aquilo que você gostaria de ser é uma das causas dos maiores desastres amorosos. Se você não tem certa característica, seja resolvido e entenda sua falta, mas não queira exigir isso de ninguém. Quando se deseja completar-se com outra pessoa, intrinsecamente é exatamente isto que se busca: que a outra parte seja como você sonha ser, mas não é. Então, você, em vez de melhorar a si mesmo, fica exigindo que a outra pessoa mude e se adapte ao seu jeito.
Elas, as mulheres, não querem ser completas pelos homens. Eles, não querem ser completos por elas, na verdade. No fundo, o que ambos querem é, sendo inteiros, viver uma vida extremamente feliz ao lado de uma pessoa que é inteiramente resolvida.
Se ainda há coisas pendentes em sua vida, situações não resolvidas na área sentimental, você não tem maturidade para entrar em um relacionamento. Se entrar, será para machucar e machucar-se.
Sempre em suas angústias, questionamentos, em sua solidão, em momentos de dores e tempos de dissabor, saiba que Ele, Jesus, é essa pessoa que te completa. Se você não deixar Jesus te completar, nunca conseguirá que pessoa alguma o faça. Permita-se ser inundado pelo amor de Deus todos os dias e você se sentirá inteira (o), atingirá um nível de maturidade que te deixará pronto para relacionar-se efetivamente com alguém. Quem nos completa de verdade é Jesus. Levante a cabeça! Você pode ter vivido coisas terríveis em sua vida, mas creia que Deus pode fazer tudo novo, uma restauração completa.
Achar que você precisa de outra pessoa para te completar não é apenas falso, mas também perigoso, pois parte do principio de que você nasceu incompleto. E isso, meu amigo, é uma baita de uma mentira.
Por mais cafona que possa soar, ter orgulho da pessoa que você é por completo irá mudar a sua vida:
1. Quando você se sente completo, você tem mais para dar
Vamos combinar: quando você se sente pela metade, não tem como se entregar por completo, até porque metade de você está faltando. Então, pergunte-se: será que você pode amar, respeitar ou sentir algo por alguém mesmo se sentindo tão vazio assim? Sentir-se pela metade faz de você uma pessoa carente, que tira do outro para se sentir completa. No entanto, quando você se sente inteiro, você tem uma fonte ilimitada de coisas incríveis para dar. O que nos leva ao próximo ponto.
2. Quando você é completo, você atrai outras pessoas que também são
Os pela metade gostam de reclamar pros amigos de cada namorico e de como nenhum presta. Eles querem encontrar alguém que seja o pacote-completo, mas ninguém é bom o suficiente. Essas pessoas não entendem o porquê de não conseguirem encontrar esse ser “perfeito”.
Surpresa! Esse tipo de pessoa pacote-completo não está à procura de um pela metade com pouco para dar. Você compraria metade de uma bala pelo preço de uma inteira? E um filme pela metade, você pagaria pra assistir?
Claro que não. Então por que achar que existem pessoas por aí procurando alguém pela metade?
3. Quando você é completo, você tem amor próprio
Os pela metade se deixam pisar com frequência. Sua necessidade de ter o amor e a afeição do outro é tão grande que acabam se deixando maltratar, coisa que uma pessoa completa nunca iria aturar. Isso porque quem se sente completo não tem medo de perder alguém que não o respeita. Sabem muito bem como estabelecer limites, pois não se sentem fragilizados pela carência. Não estão à procura de se sentirem completos, pois já o são.
Posso te contar um segredo? Durante a maior parte da minha vida eu fui uma pessoa pela metade. Mas eu me toquei de que estava olhando pras coisas de uma maneira totalmente equivocada. O propósito do relacionamento não é se completar com o outro, mas sim apreciar o ser completo que cada um já é.
“Você me completa” foi o que o personagem de Tom Cruise disse (meio que chorando) no filme Jerry Maguire. Eu vou arriscar e dizer que essa é a maior mentira hollywoodiana jamais dita. Ninguém pode te completar. Ninguém pode te dar o “pedaço que falta”. Ninguém, nunca. Porque você, meu amigo, já é um ser completo.
Adaptado do trecho do livro "DO QUE ELAS GOSTAM"

Em Cristo,
Edmilson Santos


quinta-feira, 31 de agosto de 2017

PRIMEIRO DIA! O PODER DA ESPOSA QUE ORA

A parte difícil para a esposa que ora, além do sacrifício do
tempo, é manter um coração puro. Ele deve estar limpo diante de
Deus para que você possa ver os bons resultados. É por isso que
antes de orar pelo marido, deve-se começar a orar pela esposa. Se
você sentir ressentimento, ira, incapacidade de perdoar, ou tiver uma
atitude ímpia, mesmo que haja uma boa razão para isso, terá
dificuldade em obter respostas a suas orações. Mas, se puder
entregar esses sentimentos a Deus com total sinceridade e depois
passar à oração, não há nada que possa mudar mais
dramaticamente um casamento. Algumas vezes as esposas sabotam
suas próprias orações por não orar com o coração puro. Levei algum
tempo para entender isso.
Minha Oração Favorita de Três Palavras
Eu gostaria de dizer que tenho orado regularmente por meu
marido desde o começo do nosso casamento até hoje. Mas não fiz
isso. Pelo menos não como estou sugerindo neste livro. É claro que
orei. As orações eram curtas: "Protege-o, Senhor". Eram específicas:
"Salve o nosso casamento". Mas, geralmente fazia minha oração
favorita de três palavras: "Õ Senhor, transforma-o".
Quando nos casamos, eu era recém-convertida, saindo de
uma vida de grande escravidão e erro, e tinha muito que aprender
sobre o poder libertador e restaurador de Deus. Pensei que me havia
casado com um homem praticamente perfeito e o que não era
perfeito era interessante. Com o passar do tempo, o interessante
passou a irritar-me e o perfeito transformou-se em excesso de
perfeccionismo. Cheguei à conclusão de que o que mais me irritava
nele tinha de ser mudado e então tudo ficaria bem.
Levei alguns anos para compreender que meu marido jamais
se tornaria aquela imagem que eu idealizara. Foram necessários
mais alguns anos para entender que eu não poderia transformá-lo a
meu modo. De fato, só quando levei a Deus o que me preocupava é
que comecei a ver alguma diferença. As coisas também não
aconteceram da maneira como pensei que seriam.
Foi em mim que Deus trabalhou primeiro. Fui eu que comecei
a mudar. Meu coração tinha de ser abrandado, humilhado, moldado,
quebrantado e reconstruído antes que Deus sequer começasse a
trabalhar em meu marido. Tive de aprender a ver as coisas segundo
a perspectiva de Deus e não como eu pensava que deveriam ser.
Aos poucos, compreendi que é impossível entregar-se à
oração por seu marido sem primeiro examinar o seu próprio coração.
Eu não podia ir a Deus e esperar respostas à oração se abrigava em
meu íntimo indisposição para perdoar, amargura ou ressentimento.
Não podia fazer minha oração favorita de três palavras sem
reconhecer no mais profundo da minha alma que tinha de fazer
primeiro a oração de três palavras favorita de Deus: "Transforma-me,
Senhor".
Quem, Eu?... Mudar?
Não diga que não a avisei. Quando orar pelo seu marido, em
especial com a esperança de mudá-lo, é claro que você poderá
esperar algumas transformações. Mas as primeiras mudanças não
serão nele. Serão em você. Se isto a deixar tão zangada quanto eu
fiquei, você dirá: — Espere um pouco! Não sou eu quem precisa
mudar nesta casa!
Mas Deus vê coisas que nós não vemos. Ele sabe onde há
espaço para melhorar. Ele não precisa procurar muito para descobrir
em nós atitudes e hábitos que estão em desacordo com sua perfeita
vontade. Ele exige que não pequemos em nosso coração porque o
pecado nos afasta de Deus e impede que nossas orações sejam respondidas.
"Se eu no coração contemplara a vaidade (iniqüidade), o
Senhor não me teria ouvido" (Sl 66.18). Deus quer que nossos
corações permaneçam retos, para que as respostas às nossas
orações não sejam prejudicadas.
Esta exigência é especialmente difícil quando você sente que
seu marido pecou contra você com grosseria, desrespeito,
indiferença, irresponsabilidade, infidelidade, abandono, crueldade ou
abuso. Mas Deus considera os pecados de falta de perdão, ira, ódio,
autopiedade, desamor e vingança tão nocivos quanto quaisquer
outros.
Confesse essas faltas a Deus e peça que a liberte de tudo
que não venha dele. Um dos maiores presentes que você pode dar a
seu marido é a sua integridade. A ferramenta mais eficaz para
transformá-lo pode ser a sua própria transformação.
Não se preocupe, eu também lutei contra tudo isto. De fato,
toda vez que meu marido e eu chegamos a um impasse, Deus e eu
conversamos mais ou menos assim:
— Está vendo como ele é, Senhor?
— Você está vendo como você é?
— Senhor, está dizendo que há coisas que gostaria de mudar
em mim?
— Muitas coisas. Está pronta para ouvi-las?
— Acho que sim.
— Diga-me quando estiver realmente pronta.
— Por que eu, Senhor? É ele que precisa mudar.
— O ponto não é quem precisa mudar. O ponto é quem está
disposto a mudar.
— Mas, Deus, isso não é justo.
— Eu nunca disse que a vida é justa; mas, sim, que eu sou
justo.
— Mas eu...
— Alguém tem de estar disposto a mudar.
— Mas...
— É importante preservar o seu casamento?
— Muito importante. As outras opções são inaceitáveis.
— Já apresentei o meu caso. Vamos começar mudando você.
— Ajude-me a tomar a atitude certa sobre isto, Senhor.
— Isso cabe a você.
— Tenho de orar por meu marido mesmo que ele não esteja
orando por mim?
— É isso mesmo.
— Mas, isso não é... está bem, está bem, eu me lembro. A
vida não é justa. O Senhor é justo!
(Um aceno silencioso do céu.)
— Desisto. Pode continuar. Oh, isto vai doer! Mu... mudar...
Não acredito que esteja dizendo isto. (Suspiro fundo) — Pode
transformar-me, Senhor.
Doloroso? Sim! Morrer para si mesma é sempre dolorido.
Especialmente quando você está convencida de que a outra pessoa
precisa de mais mudanças do que você. Mas, este tipo de sofrimento
leva à vida. A outra alternativa é também dolorosa e seu final é a
morte de um sonho, de uma relação, de um casamento e de uma
família.
Deus pode ressuscitar o casamento mais morto que existe,
mas é preciso humilhar-nos diante dele e desejar viver do seu modo:
com perdão, bondade e amor. Significa esquecer o passado e toda
mágoa associada a ele e estar disposta a perder a discussão a fim
de ganhar a guerra.
Não estou dizendo que você tenha de tornar-se uma pessoa
sem personalidade, sentimentos ou idéias próprias, ou ser um saco
de pancadas para os caprichos do seu marido. Deus não exige isso
de você. (De fato, se estiver em qualquer tipo de perigo físico ou
emocional, saia imediatamente da situação, vá para um lugar seguro
e peça ajuda. Você pode orar ali enquanto seu marido recebe o
aconselhamento de que necessita.)
Submissão não é algo que se exija, mas deve ser prestado
voluntariamente. Jesus disse: "Quem, todavia, perde a vida por
minha causa achá-la-á" (Mt 10.39). Mas entregar a sua vida é algo
que você faz deliberadamente e não algo que lhe é tirado à força. O
que estou dizendo é que a sua atitude deve ser: "O que quer que
queira, Senhor, mostre-me e eu o farei". Significa estar disposta a
morrer para si mesma e dizer: — Transforma-me, Senhor.
A Linguagem do Supremo Amor
Algo surpreendente acontece em nossos corações quando
oramos por outrem. A inflexibilidade se desfaz. Tornamo-nos
capazes de superar as mágoas e perdoar. Acabamos até amando a
pessoa por quem oramos. É milagroso! Isso acontece porque,
quando oramos, entramos na presença de Deus e ele nos enche
com o seu Espírito de amor.
Quando você ora por seu marido, o amor de Deus por ele irá
crescer em seu coração. Você irá descobrir também o amor por você
crescendo no coração dele, sem que ele saiba sequer que você está
orando a seu favor.
É por isso que a oração é a linguagem suprema do amor. Ela
consegue comunicar-se de uma forma como nós não conseguiríamos.
Já vi mulheres que não sentiam mais amor pelo marido
descobrirem que esses sentimentos vieram com o tempo, à medida
que oravam. Algumas vezes elas se sentiram diferentes logo depois
da primeira oração sincera.
Falar com Deus sobre o seu marido é um ato de amor. A
oração dá lugar ao amor, que gera mais oração, que, por sua vez, dá
lugar a mais amor. Mesmo que a sua oração não seja feita por
motivos completamente generosos, eles irão tornar-se menos
egoístas à medida que a oração continuar. Você irá perceber que
está sendo mais amorosa em suas reações. Notará que problemas
que antes provocavam conflitos entre ambos deixarão de ocorrer.
Vocês chegarão a acordos mútuos sem discutir. Esta unidade é vital.
Quando não estamos unidos, tudo desmorona. Jesus disse:
“Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e toda cidade,
ou casa, dividida contra si mesma, não subsistirá" (Mt 12.25). A
oração promove unidade mesmo que vocês não estejam orando
juntos.
Vi situações de grande tensão desaparecerem entre mim e
meu marido simplesmente orando por ele. Também o fato de
perguntar a ele: — Como posso orar por você? — gera um clima de
amor e de cuidado. Meu marido geralmente pára e responde a essa
pergunta detalhadamente, quando poderia não dizer nada. Conheço
até maridos incrédulos que respondem positivamente a essa pergunta
das esposas.
O ponto em tudo isto é que, como marido e mulher, não
queremos seguir caminhos separados. Queremos caminhar pela
mesma estrada. Queremos ser companheiros profundamente
compatíveis e sentir o amor que dura para toda a vida. A oração,
como linguagem suprema do amor, permite que isso aconteça.
Eu Nem Sequer Gosto Dele - Como Posso Orar por Ele?
Você já ficou com tanta raiva de seu marido que a última coisa
que queria era orar por ele? Eu já fiquei. E difícil orar por alguém
quando você está zangada ou ele a magoou. Mas é exatamente isso
que Deus quer que façamos. Se ele nos pede para orar pelos nossos
inimigos, quanto mais deveríamos estar orando pela pessoa com
quem nos tornamos uma e devemos amar? Mas como superar a
incapacidade de perdoar e a atitude crítica?
A primeira coisa a fazer é ser completamente honesta com
Deus. Para derrubar os muros em nosso coração e quebrar as
barreiras que impedem a comunicação, temos de ser totalmente
francas com o Senhor sobre os nossos sentimentos. Não precisamos
"fingir" para Deus, pois ele já conhece a verdade e apenas quer ver
se estamos dispostas a admitir e confessar nossa desobediência. Se
agirmos assim, ele poderá trabalhar o nosso coração.
Se estiver com raiva de seu marido, conte isso a Deus. Não
permita que o sentimento se torne um câncer crescente a cada dia.
Não diga: — Vou viver a minha vida e ele que viva a dele. — Há um
preço a pagar quando agimos independentemente um do outro. "No
Senhor, todavia, nem a mulher é independente do homem, nem o
homem, independente da mulher" (1 Co 11.11).
Diga em vez disso:
— Senhor, nada em mim quer orar por este homem.
Confesso minha ira, mágoa, incapacidade de perdoar, meu
desapontamento, ressentimento e minha dureza de coração para
com ele. Perdoa-me e dá-me um coração puro e um espírito reto
diante de ti. Concede-me uma atitude nova, positiva, alegre,
amorosa, perdoadora em relação a ele. Onde tiver errado, revela isso
a ele e convence o seu coração nesse sentido. Leva-o pelos
caminhos do arrependimento e da libertação. Ajuda-me a não me
afastar dele emocional, mental ou fisicamente pela falta de perdão.
Onde qualquer de nós deva pedir perdão ao outro, ajuda-nos a fazer
isso. Se houver algo que eu não esteja vendo e que esteja fazendo
aumentar este problema, revela-o a mim e ajuda-me a compreender.
Remove qualquer motivo de mal-entendido que tenha gerado
incompreensão ou falta de comunicação. Se houver um comportamento
que deva mudar em qualquer de nós, oro para que o
Senhor permita que essa mudança ocorra. Por mais que deseje
manter a minha ira contra ele, por achar que é justificada, quero fazer
a tua vontade. Entrego ao Senhor todos esses sentimentos. Dá-me
uma sensação de amor renovado por meu marido e as palavras para
resolver esta situação.
Se você se achar capaz, tente esta pequena experiência e
veja o que acontece. Ore todos os dias por seu marido durante um
mês, baseando-se, a cada dia, em um dos 30 motivos incluídos nos
30 capítulos deste livro.
Peça a Deus para derramar as suas bênçãos sobre ele e
encher vocês dois com o seu amor. Observe se o seu coração não
se abranda em relação a ele. Note se a atitude dele também não
muda. Observe se o relacionamento de vocês não está melhor. Se
tiver dificuldade em assumir este tipo de compromisso em oração,
pense no assunto sob a perspectiva do Senhor.
Ver seu marido através dos olhos de Deus - não apenas
como seu marido, mas como filho de Deus, um filho a quem o
Senhor ama - pode ser uma grande revelação. Se alguém
telefonasse e lhe pedisse para orar por seu filho, você faria isso, não
é? Pois então, Deus está pedindo.
"Fique Quieta e Ore"
A Bíblia diz que há tempo para tudo. E isso nunca é mais verdadeiro
do que no casamento, especialmente quando se trata do que
dizemos. Há tempo para falar e tempo para ficar calada, e feliz é o
homem cuja esposa pode discernir entre essas duas coisas. Quem
quer que esteja casado há algum tempo sabe que há coisas que
seria melhor não dizer.
A esposa tem a capacidade de magoar o marido mais do que
qualquer outra pessoa, e ele pode fazer o mesmo com ela. Não
importa a quantidade de desculpas, as palavras não podem ser
apagadas. Elas só podem ser perdoadas, e isso nem sempre é fácil.
Algumas vezes, qualquer coisa que digamos só irá prejudicar o
andamento daquilo que Deus quer fazer, portanto, é melhor calar-se
e orar.
Quando Michael e eu nos casamos, eu não falava muito,
mesmo se sentisse que algo estava errado. Depois que nosso
primeiro filho nasceu, comecei a exteriorizar meus pensamentos.
Porém, quanto mais eu manifestava minhas objeções e opiniões,
mais ele resistia e mais brigávamos. Tudo o que eu dizia não só não
levava a nada com respeito às minhas intenções, como tinha o efeito
oposto. Levei anos para aprender o que milhares de mulheres
aprenderam no correr dos séculos. Implicar não adianta. Criticar não
adianta. Algumas vezes, só falar também não adianta. Descobri que
a oração é a única coisa que sempre funciona.
A segurança que a oração lhe oferece reside no fato de que
você precisa da mediação de Deus para fazê-la. Isto significa que
você não pode livrar-se com atitudes, pensamentos ou motivos
errados. Quando oramos, Deus revela em nossa personalidade
aquilo que resiste à sua ordem das coisas.
Meu marido não fará algo que ele não queira e, se o fizer, os
membros mais próximos de sua família pagarão por isso. Se há
alguma coisa que eu realmente quero que ele faça, aprendi que devo
orar sobre o assunto até que eu tenha a paz de Deus em meu
coração para só então pedir. Às vezes, nessas ocasiões, Deus muda
o meu coração ou me mostra um modo diferente de agir, não
precisando, portanto, dizer nada. Se tenho que dizer algo, tento não
falar impensadamente. Oro primeiro, pedindo a orientação de Deus.
Levei, porém, bastante tempo para entender isto. Num dia em
que li o Provérbio: "Melhor é morar numa terra deserta do que com a
mulher rixosa e iracunda" (Pv 21.19), por alguma razão essas
palavras tocaram um ponto sensível.
— Mas, Senhor — questionei —, e o Provérbio 27.5: "Melhor
é a repreensão franca do que o amor encoberto"? As esposas não
têm de dizer aos maridos quando alguma coisa está errada?
Ele replicou: — "Tudo tem o seu tempo determinado, e há
tempo para todo propósito debaixo do céu:... tempo de estar calado,
e tempo de falar" (Ec 3.1,7). O problema é que você não sabe
quando fazer uma coisa ou outra, e não sabe como fazê-la em amor.
— Está bem, Senhor — disse eu. —Mostre-me quando falar e
quando ficar calada e orar.
A primeira oportunidade para isto veio na mesma hora. Eu
havia começado um novo grupo de oração feminino em minha casa e
as vidas se transformaram tanto que sugeri a meu marido que
começasse um grupo assim com os homens. Mas ele não quis nem
saber do assunto.
— Não tenho tempo — foi a sua resposta de desagrado com
a idéia.
Quanto mais eu falava a respeito, mais irritado Michael ficava.
Depois de receber as instruções de Deus — "Cale-se e ore" — decidi
tentar essa abordagem. Deixei de falar na questão e comecei a orar.
Pedi também ao meu grupo de oração que orasse comigo.
Fazia mais de dois anos que eu deixara de mencionar o
assunto a ele e começara a orar, quando Michael anunciou um dia,
subitamente, que estava organizando um grupo semanal de oração
para homens. O grupo continua se reunindo desde então e meu
marido ainda não sabe que eu orei. Embora tenha levado mais
tempo do que eu queria, o fato aconteceu. E houve paz na espera, o
que não haveria ocorrido se não tivesse ficado calada.
Na Bíblia, a rainha Ester orou, jejuou e buscou o tempo de
Deus antes de aproximar-se do marido, o rei, para tratar de um
assunto muito sério. Ela não entrou correndo e gritou: — Seus
amigos marginais vão acabar com a nossa vida! — Em vez disso, ela
orou primeiro e cuidou do marido com amor enquanto Deus
preparava o coração dele. O Senhor sempre nos dará as palavras
para dizer e nos mostrará quando dizê-las se pedirmos isso a ele. O
momento oportuno é tudo.
Conheci pessoas que usam a desculpa de serem "sinceras"
para destruir outros com as suas palavras. A Bíblia diz: "O insensato
expande toda a sua ira, mas o sábio afinal lha reprime" (Pv 29.11).
Em outras palavras, é insensato manifestar todo tipo de idéia
e sentimento. Ser sincera não significa que você tem de ser
completamente franca em todos os seus comentários. Isso magoa as
pessoas. Embora a franqueza seja um requisito para o casamento
bem-sucedido, dizer a seu marido tudo o que há de errado com ele
não é recomendável, pois isso provavelmente não corresponderá a
toda a verdade.
A verdade total é aquela vista da perspectiva de Deus e ele,
sem dúvida, não tem o mesmo problema que você tem com alguns
atos de seu marido. Nosso objetivo não deve ser obrigar nossos
maridos a fazerem o que nós queremos, mas sim entregá-los a Deus
para que ele os leve a agir de acordo com o que o Senhor quer.
Tenha cuidado para distinguir a diferença entre o que é
verdadeiramente certo e errado. Se o problema não se encaixar de
modo claro numa dessas categorias, mantenha as suas opiniões
pessoais para si mesma ou ore sobre elas e depois, conforme o
Senhor a guiar, discuta-as calmamente.
A Bíblia diz: "Não te precipites com a tua boca, nem o teu
coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus;
porque Deus está nos céus, e tu na terra; portanto sejam poucas as
tuas palavras" (Ec 5.2). Há ocasiões em que você deve apenas ouvir
e não dar conselhos; apoiar, e não fazer críticas construtivas.
Não estou sugerindo de forma alguma que você se torne um
capacho tímido que nunca confronta seu marido com a verdade - em
especial quando for para o bem dele. Sem dúvida você deve
expressar claramente suas idéias e sentimentos. Mas, uma vez que
ele os tenha ouvido, não continue a pressioná-lo até que a questão
se torne um ponto de discórdia e conflito.
Se tiver de dizer algumas palavras duras, peça a Deus para
ajudá-la a escolher o melhor momento para isso. Ore pedindo as
palavras certas e para que o coração de seu marido esteja
totalmente aberto. Sei que será difícil se for algo que você está
ansiosa para dizer. Mas, por mais difícil que pareça, é melhor deixar
que Deus ouça primeiro, a fim de temperar as palavras com o seu
Espírito.
Isto é especialmente verdadeiro quando a comunicação entre
ambos cessou por completo e cada palavra só traz mais sofrimento.
Gostaria de ter aprendido há mais tempo a orar antes de falar.
Minhas palavras freqüentemente provocavam uma reação defensiva
em meu marido, resultando em respostas ásperas, que ambos
lamentávamos. Ele julgava que, com as minhas sugestões, eu o
estava pressionando a fazer ou a ser algo, embora eu sempre
tivesse em mente o seu bem. Era preciso que Deus falasse com ele.
Quando vivemos pelo poder de Deus, em vez de pelas nossas
próprias forças, não temos de lutar pelo poder com nossas
palavras. "Porque o reino de Deus consiste não em palavra, mas em
poder" (1 Co 4.20).
Não são as palavras que dizemos que fazem diferença, mas
o poder de Deus que as acompanha. Você ficará surpresa ao ver
quanto poder as suas palavras têm quando ora antes de falar. Ficará
ainda mais espantada com o que pode acontecer quando se cala e
deixa Deus trabalhar.
Cristão ou Não
Se o seu marido não é cristão, provavelmente você já sabe
qual será a reação dele ao falar-lhe sobre o Senhor, em especial se
ele não respondeu das primeiras vezes em que você tentou falar a
respeito. Não se trata de não poder dizer nada a ele, mas se o que
você diz sempre é recebido com indiferença ou irritação, o passo
seguinte é manter-se calada e orar. A Bíblia nos ensina que a mulher
pode ganhar o marido sem dizer palavra, porque o que ele observa
na esposa fala mais alto do que o que ela lhe diz. "Sejam ganhos (os
maridos), sem palavra alguma, por meio do procedimento de suas
esposas" (1 Pe 3.1).
Mesmo que as coisas ainda não sejam como Deus afirma, ele
nos fala a respeito delas como se já fossem realidade. Você pode
fazer isso também. Pode dizer: — Não vou fingir, mas vou falar de
coisas que não fazem parte da vida de meu marido como se já
fizessem. Embora ele não tenha fé, vou orar por ele como se tivesse.
— É claro que você não pode forçá-lo a fazer algo que ele não quer,
mas pode acessar o poder de Deus mediante a oração para que a
voz do Senhor penetre a alma de seu marido.
Não importa quanto tempo você tenha de orar para que ele
venha a conhecer a Deus; mesmo que leve a vida inteira, o tempo
não terá sido desperdiçado. Enquanto isso, quer seu marido seja ou
não cristão, você poderá fazer todas as orações deste livro por ele e
esperar ver respostas importantes para elas.
Criando um Lar
Não me importo até que ponto você é liberada; se for casada
haverá sempre duas áreas que no final das contas serão de sua
responsabilidade: a casa e os filhos. Mesmo que você seja a única
que trabalhe e que seu marido fique em casa para cuidar dos
afazeres domésticos e dos filhos, espera-se que você mantenha sua
casa como um santuário de paz - uma fonte de alegria, aceitação,
rejuvenescimento, educação, descanso e amor para a sua família.
Além disso, espera-se que você seja sexualmente atraente,
boa cozinheira, boa mãe, além de física, emocional e espiritualmente
preparada. Isso é demais para a maioria das mulheres, porém as
boas notícias são que você não precisa fazer tudo sozinha. Pode
buscar a ajuda de Deus.
Peça ao Senhor para mostrar-lhe como tornar o seu lar um
abrigo seguro, que proteja a sua família - um lugar onde exista
criatividade e comunicação contínuas. Peça a Deus para ajudá-la a
manter a casa limpa, a roupa lavada, a cozinha em ordem, a
despensa e a geladeira cheias, e as camas arrumadas.
Trata-se de coisas básicas pelas quais o homem talvez não
elogie a esposa todos os dias (ou nunca), mas ele notará se não
forem feitas. Meu marido pode não abrir o armário para procurar uma
lâmpada ou uma pilha durante meses; mas, quando faz isso, quer
que elas estejam lá. Ele também não quer sair tarde do trabalho e,
ao chegar em casa certa noite, descobrir que não há pão para um
sanduíche. Faço o máximo para que essas coisas não faltem.
Peço a Deus que me ajude a manter uma casa que leve meu
marido a ter prazer em voltar para ela e em convidar os amigos. Não
é necessário possuir mobília cara ou contratar um decorador para
fazer tudo isso. Minha primeira casa era pequena e a mobília, de
segunda-mão. Pintei-a inteirinha com a ajuda de uma amiga e a
tornei aconchegante. Isso só exige um pouco de bom senso e
cuidado.
Parte de tornar a casa um lar é permitir que seu marido seja o
cabeça, para que você possa ser o coração. Tentar ser ambas as
coisas é demais.
Deus colocou o marido como cabeça da família, quer ele
mereça ou não, quer ele desempenhe essa função adequadamente
ou não. Essa é a ordem de Deus para as coisas. Isto não significa
que uma posição é mais importante do que a outra. Elas andam
juntas.
Se o seu marido deve ser o cabeça da casa, você tem de
permitir-lhe a liderança. Se você deve ser o coração do lar, terá de
dar os passos necessários para isso, ainda que você contribua de
modo relevante para o sustento financeiro. Tentar inverter essa
ordem dá lugar a um constante conflito.
Não estou querendo dizer que a mulher não pode trabalhar e
que o marido não pode cuidar da casa; as atitudes do coração e da
cabeça é que fazem a diferença. Houve semanas, enquanto eu
terminava um livro, em que meu marido tomou conta das crianças e
da casa para que eu pudesse cumprir os prazos. Isso nunca
depreciou a sua autoridade ou me fez usurpar a sua posição. Foi
algo que ele fez por mim. Houve ocasiões em que ele precisou que
eu trabalhasse para que ele pudesse descansar. Fiz isso por ele.
Trata-se de um equilíbrio delicado para a maioria das pessoas e,
portanto, é melhor orar para que a integridade das duas posições no
lar - cabeça e coração - não fiquem comprometidas.
Manter a ordem na casa não significa que ela tem de ser
perfeita, mas não deve ficar fora de controle. Se você estiver
trabalhando tanto quanto ele para o sustento da casa, as responsabilidades
domésticas devem ser compartilhadas. Se ele não
quiser compartilhá-las, gastar uma certa quantia em dinheiro para
que alguém ajude você algumas horas por semana é mais barato do
que um divórcio, um terapeuta, um médico ou um funeral. Peça a
Deus que lhe mostre o que fazer nesse caso.
Tudo o que eu disse sobre o lar se aplica também ao seu
corpo, alma e espírito. Algum esforço deve ser feito para mantê-los.
Ouvi certa vez um programa de rádio em que uma mulher telefonou
para queixar-se a um psicólogo que o marido lhe dissera que não era
mais atraente.
O psicólogo respondeu: — O que você está fazendo para ser
atraente? — A mulher não teve resposta. O ponto é este: ser
atraente não acontece por si só. Até as mulheres mais
deslumbrantes do mundo fazem muito para manter sua aparência
sempre atraente.
A rainha Ester era uma das mulheres mais belas em seu país
e mesmo assim ela passou um ano se embelezando antes de
encontrar o rei.
Temos de perguntar a nós próprias a mesma coisa: — O que
estou fazendo para me tornar atraente para meu marido? — Estou
sempre limpa e cheirosa? Faço exercícios com freqüência para
manter meu corpo interna e externamente sadio? Procuro preservar
minhas forças e vitalidade com uma dieta sadia? Minhas roupas são
atraentes? E, mais importante que tudo: Passo tempo a sós com
Deus todos os dias? Garanto que quanto mais tempo você passar
com o Senhor, mais radiante se tornará. "Enganosa é a graça e vã a
formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada"
(Pv 31.30).
Você precisa investir em si mesma, sua saúde e seu futuro. É
egoísmo não fazer isso. Ore a Deus para mostrar-lhe os primeiros
passos e depois capacitá-la a dá-los. Convide o Espírito Santo para
habitar no seu coração e no seu lar.
Libertando-se das Expectativas
Estávamos casados há pouco quando, um dia, meu marido
me telefonou do escritório e pediu que eu preparasse um prato
especial de frango para o jantar. Fui ao supermercado, comprei os
ingredientes, preparei o prato e, quando ele chegou em casa, foi
entrando e dizendo: — Não estou com vontade de comer frango
hoje, prefiro carne. — Não é preciso dizer o que me passou pela
mente, porque tenho a certeza de que você já sabe.
Este não foi um incidente isolado. Outros aconteceram com
freqüência. Não posso enumerar as vezes em que Michael prometeu
estar em casa para o jantar e dez minutos depois de o jantar estar
pronto, telefonou para dizer que ia trabalhar até tarde e comeria com
os colegas.
Aprendi finalmente que não adiantava ficar zangada,
magoada ou ressentida. Isso só piorava as coisas. Ele se colocava
na defensiva por pensar que eu não entendia a sua situação.
Compreendi que era mais saudável para nós dois se eu deixasse de
lado minhas expectativas. A partir de então, preparava as refeições
apenas para mim e as crianças. Se Michael pudesse juntar-se a nós,
era uma surpresa agradável. Se não pudesse, eu conseguia
sobreviver.
Aprendi que, quando coisas desagradáveis acontecem, é
melhor lembrar-me das boas qualidades de meu marido. Recordo-me
de como ele me ajuda algumas vezes com os trabalhos domésticos e
a cozinha. Ele é fiel e não me dá motivo para duvidar disso. É cristão
e vai à igreja, lê a Bíblia, ora e possui padrões morais elevados. Ele
me ama e a nossos filhos. Usa seus talentos para a glória de Deus. É
um homem bom e generoso. As coisas poderiam ser bem piores,
portanto não vou me queixar se ele está ou não em casa para o
jantar.
Acho que, se eu pudesse ajudar uma recém-casada em
qualquer área, seria para dissuadi-la de iniciar o casamento com uma
enorme lista de expectativas e depois frustrar-se porque o marido
não corresponde a elas. É claro que há alguns itens básicos que
devem ser tratados antes do casamento, tais como fidelidade,
sustento financeiro, honestidade, bondade, decência, padrões morais
elevados, amor e proteção.
Se você não tiver essas coisas, poderá pedi-las. Se ainda
assim não conseguir obtê-las, poderá orar. Mas, quando se trata de
pontos específicos, você não pode exigir que uma única pessoa
satisfaça todas as suas necessidades.
O homem pode sentir-se excessivamente pressionado em ter
de fazer isso e ainda realizar seus sonhos. Em vez disso, leve suas
necessidades a Deus em oração e espere dele as respostas. Se
tentarmos controlar nossos maridos com uma enorme lista à qual
devem corresponder e depois ficamos zangadas quando eles não
conseguem, nós é que estamos erradas. Os maiores problemas em
meu casamento ocorreram quando minhas expectativas do que eu
pensava que Michael devia ser ou fazer não coincidiam com a
realidade de quem ele era.
Livre-se do maior número possível de expectativas. As mudanças
que você gostaria que ocorressem em seu marido ou que ele
tenta fazer em si mesmo para agradar você estão condenadas ao
fracasso e trarão desapontamentos para ambos. Em vez disso, peça
a Deus para fazer quaisquer mudanças necessárias. Ele fará um
trabalho muito melhor porque "tudo quanto Deus faz durará
eternamente; nada se lhe pode acrescentar, e nada lhe tirar" (Ec
3.14).
Aceite seu marido como ele é e ore para que ele cresça.
Depois, quando a mudança acontecer, será porque Deus trabalhou
nele e ela será duradoura. "Somente em Deus, o minha alma, espera
silenciosa, porque dele vem a minha esperança" (Sl 62.5). Suas
maiores expectativas devem ser colocadas em Deus e não em seu
marido.
Com Todo o Respeito Devido
É interessante que Deus exija que o marido ame a esposa,
mas exige-se que a esposa tenha respeito pelo marido. "Não obstante,
vós, cada um de per si, também ame a sua própria esposa como
a si mesmo, e a esposa respeite a seu marido" (Ef 5.33).
Suponho que mulher alguma iria casar-se com um homem a
quem não amasse, mas é comum que a mulher perca o respeito pelo
marido depois de estarem casados há algum tempo. A perda de
respeito parece preceder a perda de amor e é mais triste para o
homem do que pensamos. As conseqüências podem ser muito
sérias.
A mulher do rei Davi, Mical, viu seu marido dançando de
alegria perante o Senhor na frente do povo, sem as suas vestes reais
e só com as roupas de baixo, quando a arca da aliança estava
entrando na cidade. Mical não só não participou da alegria dele,
como também desprezou-o (2 Sm 6.16).
Ela criticou o marido em vez de compreender a situação sob
a perspectiva de Deus. Mical pagou caro pela sua falta de respeito. O
juízo de Deus fez com que não pudesse ter filhos.
Creio que não só trazemos infelicidade para os nossos casamentos
e nossos maridos quando não os respeitamos, como isso
também fecha a porta para uma nova vida em nós.
Em outro exemplo, a rainha Vasti se recusou a apresentar-se
ao rei quando ele a chamou. O rei estava dando uma festa para seus
amigos, ele se sentia alegre e queria exibir sua linda esposa. Tudo o
que lhe pediu foi que pusesse roupas reais, colocasse a coroa de
rainha e fizesse uma aparição real para os convidados. Ela recusouse,
sabendo muito bem que isso seria humilhante para ele. "Porém a
rainha Vasti recusou vir por intermédio dos eunucos, segundo a
palavra do rei, pelo que o rei muito se enfureceu, e se inflamou de
ira" (Et 1.12).
O resultado foi que Vasti perdeu a sua posição de rainha. Ela
não só fez um mal ao marido, o rei, mas também ao povo. A não ser
que a mulher queira perder a sua posição como rainha do coração do
marido e magoar além disso a família e os amigos, ela não deve
humilhar o esposo por mais que pense que ele o mereça. O preço é
alto demais.
Se isto já lhe aconteceu e você está ciente de haver desrespeitado
seu marido, confesse isso a Deus neste momento. Diga: —
Senhor, confesso que não estimo meu marido da maneira como a
tua Palavra diz que devo. Há um muro em meu coração que sei foi
levantado para proteger-me contra a possibilidade de ser magoada.
Mas estou pronta a derrubá-lo para que meu coração possa curar-se.
Confesso as vezes que mostrei desrespeito por ele.
Confesso, diante de ti, o pecado expresso em minha atitude e
palavras desrespeitosas. Mostra-me como desmanchar esta barreira
sobre as minhas emoções, a qual me impede de ter o amor
incondicional que tu queres que eu tenha. Quebra o muro endurecido
ao redor do meu coração e mostra-me como respeitar meu marido
conforme desejas. Dá-me o verdadeiro amor por ele, Senhor, e
ajuda-me a vê-lo da maneira como o vês.
Orar deste modo lhe permitirá ver o potencial de seu marido
para a grandeza, e não as suas falhas. A oração a capacitará a dizer
algo positivo que irá animar, edificar, dar vida e renovar seu
casamento. O amor diminui se nos fixamos nos aspectos negativos.
O amor cresce se enfocamos os positivos. Quando você olhar
seu marido através do coração de Deus, poderá enxergar com outros
olhos. Haverá momentos em que você não conseguirá saber de onde
seu marido vem, o que ele está sentindo e por que está fazendo as
coisas que faz, a não ser que tenha o discernimento de Deus. Peça
ao Senhor que o dê a você.
Quando estiver orando por si mesma - a esposa dele –
lembre-se do modelo da esposa virtuosa da Bíblia. A passagem diz
que ela cuida da sua casa e faz isso muito bem. Sabe como comprar
e vender, e faz bons investimentos. Mantém-se saudável e forte e se
veste de maneira atraente. Trabalha com diligência e possui
habilidades lucrativas. É generosa e se prepara conscienciosamente
para o futuro. Contribui para a boa reputação do marido. É forte,
íntegra, honrada e não teme envelhecer. Fala com sabedoria e
bondade. Não permanece ociosa, mas observa cuidadosamente o
que se passa em sua casa. Seus filhos e marido a louvam. Ela não
confia na beleza exterior, mas sabe que o temor do Senhor é seu
maior atrativo. Apóia o marido e mantém uma vida pessoal
proveitosa que fala por si mesma (Pv 31).
Esta é uma mulher surpreendente, o tipo de mulher que só
podemos tornar-nos mediante a capacitação de Deus e nossa
rendição a ele. O resultado é que ela é uma mulher cujo marido
confia nela porque "lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua
vida" (v.12). Creio que o "bem" mais importante que a mulher pode
fazer para o marido é orar. Você me acompanha?
Oração
Senhor, ajude-me a ser uma boa esposa.
Compreendo muito bem que não conseguirei isso sem a sua
ajuda. Tome o meu egoísmo, impaciência e irritação e
transforme-os em bondade, longanimidade e disposição
para suportar tudo. Tome meus velhos hábitos emocionais,
mentalidade, reações automáticas, suposições rudes e
posição autoprotetora e tome-me paciente, bondosa, fiel,
gentil e autocontrolada. Tome a dureza do meu coração e
derrube os muros com o seu aríete da revelação. Dê-me um
novo coração e trabalhe em mim o seu amor, paz e alegria
(Gl 5.22,23). Não posso ser mais do que sou neste
momento. Só o Senhor pode transformar-me.
Mostre-me onde há pecado em meu coração,
especialmente com relação ao meu marido. Confesso as
vezes em que mostrei falta de amor, fui crítica, zanguei-me,
ressenti-me, fui desrespeitosa ou não pude perdoá-lo.
Ajude-me a livrar-me de qualquer mágoa, ira ou
desapontamento que possa sentir e a perdoá-lo como o
Senhor faz - total e completamente, sem ressentimentos.
Faça de mim um instrumento de reconciliação, paz e cura
neste casamento. Capacite-nos para nos comunicarmos
bem e livre-nos do limiar da separação que leva ao divórcio.
Faça de mim a ajudadora, companheira, defensora,
amiga e o apoio de meu marido. Ajude-me a criar um lugar
tranqüilo, repousante e seguro para o qual ele possa
retornar ao fim do dia. Ensine-me a cuidar de mim mesma e
a permanecer atraente para ele. Faça com que eu cresça e
me tome uma mulher criativa e confiante, rica de mente,
alma e espírito. Faça de mim o tipo de mulher do qual ele
possa orgulhar-se como esposa.
Coloco todas as minhas expectativas na sua cruz.
Liberto meu marido do fardo de satisfazer-me em áreas em
que devo esperar isso do Senhor. Ajude-me a aceitá-lo
como ele é e não procurar mudá-lo. Compreendo que em
alguns aspectos ele talvez nunca mude; mas, ao mesmo
tempo, eu o libero de mudar em coisas que jamais pensei
que ele poderia. Deixo quaisquer mudanças que precisem
ser feitas nas mãos do Senhor, aceitando plenamente que
nenhum de nós dois é perfeito e jamais será. Só o Senhor,
meu Deus, é perfeito e peço que nos aperfeiçoe.
Ensine-me a orar por meu marido e a fazer das
minhas orações uma verdadeira linguagem de amor. Onde o
amor morreu, renove-o, Senhor. Mostre-me como é de fato
o verdadeiro amor e como compartilhá-lo com meu marido.
Traga unidade entre nós, para que possamos concordar em
tudo (Am 3.3).
Que o Deus da paciência e do consolo nos conceda
ter o mesmo sentimento de um para com o outro, segundo
Cristo Jesus (Rm 15.5). Faça de nós uma equipe,
trabalhando juntos, ignorando as falhas e fraquezas mútuas
para o bem maior do casamento e não seguindo vidas
separadas, competitivas ou independentes.
Ajude-nos a buscar as coisas que promovem a paz e
aquelas com as quais possamos edificar um ao outro (Rm
14.19). Que possamos ser "inteiramente unidos na mesma
disposição mental e no mesmo parecer" (1 Co 1.10).
Oro para que o nosso compromisso com o Senhor e
um com o outro fique cada dia mais forte. Capacite-o para
ser o chefe da casa como o Senhor o fez para ser e mostreme
como apoiá-lo e respeitá-lo enquanto ele procura
desempenhar essa posição de liderança. Ajude-me a
compreender os seus sonhos e ver as coisas da perspectiva
dele.
Revele-me o que ele quer e o que precisa e mostreme
os problemas em potencial antes de ocorrerem. Sopre a
sua vida, o Deus, neste casamento.
Faça de mim uma nova pessoa, Senhor. Dê-me uma
nova perspectiva, um ponto de vista positivo e uma relação
renovada com o homem que o Senhor me deu. Ajude-me a
vê-lo com novos olhos, nova apreciação, novo amor, nova
compaixão e nova aceitação. Dê a meu marido uma nova
mulher, e que seja eu.
Instrumentos de Poder
Por isso vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede
que recebestes, e será assim convosco. E, quando estiverdes
orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para
que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas.
Mc 11.24,25
Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos,
perdoando-vos uns aos outros, como também Deus em Cristo
vos perdoou.
Ef 4.32
Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á.
Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem
bate, abrir-se-lhe-á.
Mt 7.7,8
Com a sabedoria edifica-se a casa, e com a inteligência ela se
firma; pelo conhecimento se encherão as câmaras de toda
sorte de bens, preciosos e deleitáveis.
Pv 24.3,4
E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo
ceifaremos, se não desfalecermos.
Gl 6.9

Em Cristo,
Edmilson Santos

Extraído do livro "O poder da esposa que ora".

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

#DESAFIO - ORANDO 30 DIAS PELO SEU #MARIDO


Estou fazendo o desafio às esposa de orar e jejuar por seu marido durante trinta dias e esses dias vão ser baseados no livro – (O #poder da #esposa que ora).

Este poder não é concedido para ser usado como uma arma, a fim de amansar um animal teimoso. É uma ferramenta suave de restauração, obtida mediante as orações de uma #esposa que deseja #fazer o que é #certo mais do que #estar #certa, e dar #vida mais do que dar o #troco. 

É um meio de #convidar o #poder de #Deus a entrar na vida de seu marido para que ele tome posse da maior bênção, que em última análise é também a sua.

Espere! Antes que Você Desista do Casamento... #VAMOS# ORAR!

Me esforçarei para postar diariamente pelo que as esposas devem orar.


Extraído de minha fan page #EuAcreditoemFamília

Em Cristo,
Edmilson Santos

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

PROCRASTINAÇÃO!


Por que #adio sempre meus #SONHOS? (Procrastinação)
Você é daqueles que sempre #começa algo, mas nunca #termina ou não consegue terminar? Se não é, conhece alguém assim? Embora não seja capital, esse é um dos pecados cometidos por muitos e é também letal. É o pecado da #procrastinação.
Procrastinar não é popularmente conhecido. Porém, sua ação é mais comum do que se possa imaginar. Procrastinar é o mesmo que “transferir para outro dia; adiar, delongar, #deixar sempre para depois”. Ainda que a procrastinação faça parte da vida de milhares de pessoas, não se pode #aceitá-la como #natural no nosso dia-a-dia.
Engana-se quem pensa que o “começar e nunca terminar” só afeta o lado profissional. Essa “doença”, que retarda sonhos e alvos, também afeta o lado pessoal (emocional). Você fica infeliz e isso afeta tudo e todos a sua volta.
Pare de #sabotar teus #sonhos, isso tem acabado com sua autoestima. Que tal voltar estudar (curso, faculdade) voltar a trabalhar... Haaaá já passou tanto tempo. Pare com isso agora! Pare de adiar sua felicidade! Você já se #doou muito pelos #outros (esposo (a), filhos, pai e mãe). Agora está na #hora de #pensar um #pouco em #você (isso não é pecado).
Minha esposa depois de 17 anos, voltou a estudar enfermagem, como ela está feliz, alegre, se sentindo útil para ela mesma (autoestima dela está lá nas alturas).
EU tenho sido o mais beneficiado nisso tudo, com retorno de minha esposa ao estudo. Sempre a incentivei!
#MARIDOS incentivem suas esposas a #realizarem seus #sonhos, e não seja um obstáculo a isso. É duro o que vou falar, mas é a pura realidade. A #felicidade de nossa esposa, não se #resume a você (marido), a #casa (fazeres domésticos) e nem mesmo os filhos. Não estou querendo dizer que as esposas não tem alegria em cuidar do que mencionei, mas muitas esposas são tolhidas de suas realizações pessoais e isso as adoece.
#MARIDOS Ajudem suas esposas a não PROCRASTINAR! Vocês perceberam que serão os maiores beneficiados de tudo isso. #Pense#Nisso!
#ESPOSAS corram o risco por vocês! Comecem hoje e não amanhã, a trilhar seu sonho pessoal.
(Reflexão extraída de minha Fan page)

Em Cristo,
Edmilson Santos

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Seu filho auxilia na atividade de casa?


Como pais, sempre desejamos proporcionar aos nossos filhos uma vida melhor do que aquela que tivemos e a oportunidade de alcançarem condições melhores que as que temos, como adultos.
Nessa busca por conforto e uma vida melhor, tornou-se rara, em muitos lares, a participação dos filhos na realização de tarefas domésticas. Guardar a louça, lavar o quintal, estender ou recolher a roupa, arrumar o próprio quarto são atividades desconhecidas ou não praticadas por muitas crianças. Normalmente, são feitas por mães sobrecarregadas ou funcionárias domésticas. Seria essa, realmente, a melhor forma de educá-las?
Logicamente, discutir “a melhor forma de educar” pode trazer à tona questões muito delicadas, visto que essa “melhor forma” depende dos valores de cada família, das expectativas e propósito dos pais em relação aos filhos, e à concepção de mundo em que se baseiam. Portanto, essa não é uma tarefa simples.
No entanto, mesmo que não se possa avaliar “a melhor forma de educar”, podemos utilizar um parâmetro comum para aferir nossas ações. Posso afirmar que, pessoalmente, sou adepto ao modelo bíblico cristão para a construção dos meus valores pessoais, e eles norteiam os princípios adotados por minha família. No entanto, independente da visão adotada, acredito que a possibilidade de analisar os benefícios de determinadas práticas é sempre útil para provocar uma reflexão e, neste artigo, pretendo expor algumas contribuições da participação nas atividades domésticas para a formação do caráter e o desenvolvimento cognitivo das crianças.
DESENVOLVE A PRESTATIVIDADE
As crianças que ajudam em casa tornam-se pessoas prestativas. Uma escritora americana reconhecida por sua grande contribuição em diversas áreas, inclusive educação, afirma em um de seus livros que “enquanto [as crianças] ainda são pequenas, deve a mãe dar-lhes alguma tarefa simples para fazer, cada dia. Levará mais tempo para os ensinar do que fazê-la ela própria, mas lembre-se que deve, para a formação do caráter deles, deve ser lançado o fundamento da prestatividade. É essa prestatividade que prepara a pessoa para ser útil à família e à sociedade
EVITA COMPORTAMENTOS INADEQUADOS

De forma contundente, a prática mostra como a ocupação em atividade útil é necessária para preservar a criança e o adolescente de envolverem-se com companhias inadequadas e desenvolver hábitos prejudiciais. Quando comparamos a situação da infância hoje com a de nossos avós ou até mesmo alguns de nossos pais, vemos que eles não possuíam praticamente nenhum dos recursos que as crianças de hoje possuem. No entanto, atualmente, a insatisfação de muitas crianças em relação à escola e sua condição de vida, mesmo quando cercadas de conforto e brinquedos, é bastante preocupante. Seria essa insatisfação o resultado de não conhecerem a quantidade de esforços despendidos pelas gerações anteriores para que elas desfrutassem das condições que agora possuem?

Em Cristo,
Edmilson Santos

Fonte: Esperança.com